Agenda


07/03/2015 - Lançamento do Livro Mulheres Incríveis no Conexão das Artes às 18h
12/03/2015 - Lançamento do Livro Mulheres Incríveis no Museu Arte e Vida(Duque de Caxias)às 14h
Mar de Culturas no Quiosque da Globo às 19h
14/03/2015 - Lançamento do Livro Mulheres Incríveis no Sarau Mulheres de Pedra (Pedra de Guaratiba) às 19h
21/03/2015 - Apresentação do Livro Mulheres Incríveis no Sarau Dedinho de Prosa (CIEP Julio Caetano)
23/03/2015 - Lançamento do Livro Mulheres Incríveis em Cabo Frio
26/03/2015 - Lançamento do Livro Mulheres Incríveis no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ às 13hs.
29/03/2015 - Evento de Lançamento do Projeto A Cor da Palavra, com o Poeta Sérgio Alves e a Banda DSD. 16h

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Pesquisas

Mãe Regina de Bamboxê

"Para elucidar questões de uma religião de matriz africana, é desenvolvido um estudo de caso no terreiro Ilê Yamim a fim de relacionar sua origem e construções ao Axé Bamboxê, trazido da Bahia pelo bisavô da Yalorixá Regina de Iemanjá, também conhecida como Mãe Regina de Bamboxê, que chega ao Rio de Janeiro no final da década de 50 e abre sua casa de Candomblé em meio a um regime militar."


Candomblé: identidade e memória da família Bamboxê


A presente comunicação visa analisar a identidade do axé Bomboxê examinando a importância, o papel do Babalaô Bomboxê Obitico na formação do Candomblé na Bahia, suas viagens transatlânticas, a fim de buscar o “segredo” das práticas religiosas na África e trazer para o Brasil, foi um processo ocorrido entre muitos escravos libertos no final do séc. XIX. Após a inserção do Babalaô Bamboxê Obitikó nas redes sociais do candomblé por Marcelina da Silva, no candomblé da casa branca no Engenho Velho da federação, sua família segue com o culto aos orixás, e vamos perceber mais a frente, a constituição do axé Bamboxê e sua tradição sendo trazida para o Rio de Janeiro pelo seu neto carnal Felisberto Bomboxê, e mantido por sua bisneta carnal, Regina Bamboxê. Compreender o processo de formação e consolidação da família Bamboxê e a herança africana nas religiões negras no Brasil e manutenção da memória no processo de formação do candomblé ketu na Bahia e a importância de diversos personagens na história do candomblé, é um dos objetos deste estudo. Discutiremos também sobre a importância dessas práticas religiosas, seus ritos e como essas tradições são mantidas e algumas vezes reinventadas, dando ênfase a sua contribuição para o candomblé em Salvador e no Rio de Janeiro. Pretendemos ainda, demonstrar a trajetória da família Bamboxê a fim de mostrar como a mesma imprime sua identidade no candomblé desde o final do séc. XIX e os mantém até os dias atuais. Esta família representa a tradição e estabelece as fronteiras desse grupo ou “nação” com outras comunidades de Candomblé, ao mesmo tempo em que têm fundamental importância na História cultural afro brasileira. Tendo por baseos depoimentos de membros da família Bamboxê e filhos de santo deste axé pretendemos investigar como a tradição da família Bamboxê mantém-se ao longo deste período e como se mantém no Rio de Janeiro permanecendo até os dias atuais.

Link para a pesquisa completa:
Share Mãe_Regina_de_Bamboxê.pdf - 7 MB