Agenda


07/03/2015 - Lançamento do Livro Mulheres Incríveis no Conexão das Artes às 18h
12/03/2015 - Lançamento do Livro Mulheres Incríveis no Museu Arte e Vida(Duque de Caxias)às 14h
Mar de Culturas no Quiosque da Globo às 19h
14/03/2015 - Lançamento do Livro Mulheres Incríveis no Sarau Mulheres de Pedra (Pedra de Guaratiba) às 19h
21/03/2015 - Apresentação do Livro Mulheres Incríveis no Sarau Dedinho de Prosa (CIEP Julio Caetano)
23/03/2015 - Lançamento do Livro Mulheres Incríveis em Cabo Frio
26/03/2015 - Lançamento do Livro Mulheres Incríveis no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ às 13hs.
29/03/2015 - Evento de Lançamento do Projeto A Cor da Palavra, com o Poeta Sérgio Alves e a Banda DSD. 16h

domingo, 21 de dezembro de 2014

Como Carregar o Piano?


Ontem me vi numa situação inusitada, piriquitante, e me veio o pensamento de estar carregando um fardo, um peso enorme, um piano, podem pensar porque um piano? Porque não sei dizer, só sei que já ouvi esse termo e se encaixa perfeitamente nesta situação, ufa!! Como carregar o piano? Como tirá-lo do lugar? Sozinha, nem pensar! Foi quando vi a resposta, bem a minha frente, ou ao meu redor, sei lá. Nesta fase nova de minha vida estou tendo a ajuda de várias pessoas, sendo que algumas colocam a mão no piano e tenta carregá-lo comigo, outras não, elas, param, olham, olham e arrisca um palpite, tipo “se você segurar na calda acho que consegue carregá-lo melhor” e seguem seu caminho, outras dizem “este piano é bem leve, né?” E eu ali me arrebentando, tentando não cair, me equilibrando com o piano nas costas, a espera de um milagre, do tipo, cheguei ao fim da linha, já posso largar o piano, consegui, venci, enfim tudo isso passa pela minha cabeça neste momento, enquanto tento esboçar um sorriso, no decorrer da conversa, porque o piano ainda está lá, bem nas minhas costas e existe uma pessoa incansável, que tem revezado comigo este peso, este fardo, este piano, essa pessoa é minha mãe, mesmo a trancos e barrancos tem me ajudado como pode neste trajeto que venho seguindo a cerca de 45 dias. Vou conseguir deixar este piano no local certo e na hora certa e sei que quando o fizer, sairei dali com mais experiência, fortalecida, mais madura, não sei se menos dura com a vida, mas vou tentar não deixar este peso me endurecer mais do que já sou, vou tentar ser leve ao final e tirar deste piano as notas mais suaves para seguir minha caminhada, e quando pensar no período em que o carreguei, pensarei também no som que ele emitia e talvez fosse este som que me fizesse aguentar o peso e não desistir, confesso que por muitas vezes pensava “meu Deus! Não tenho mais forças! E respirava fundo e buscava aquele sopro, aquele fôlego que pensamos ser o último, mais ainda bem que não é, anda estou carregando o piano, mas consegui escrever e isso me da um gás para conseguir suportar por mais um tempo. Então para carregar o piano, seja firme, não desista, não fique iludido quando pararem perto de ti, pois nem sempre é apara ajuda-lo, tenha coragem e perceba quem de fato está segurando piano com você, tente se equilibrar e não ter mais que carregar o piano em sua trajetória, mas se for inevitável, jamais se esqueça das lições que aprendeu enquanto o carregava pela primeira vez, e por fim nada é eterno, tudo tem início, meio e fim.

Elaine Marcelina

Rio de Janeiro, 3/11/2013.